PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

3 games que causaram polêmicas em seu lançamento

Foto: Rockstar Games

Descubra como três jogos icônicos causaram alvoroço e geraram debates em torno do conteúdo violento e polêmico.

O universo dos videogames, abrangente e diversificado, possui uma vasta gama de conteúdos, oscilando entre os mais amenos e os violentos e controversos.

Em alguns casos, o grau de violência imprimido em determinados jogos é tão alto que acaba gerando discussões fervorosas e, em situações mais extremas, até censura. Hoje, vamos abordar justamente esses jogos que sacudiram a indústria com suas polêmicas.

Em primeiro lugar, temos “Call of Duty: Modern Warfare 2“, um dos episódios mais intensos da popular série bélica Call of Duty. Sempre existiu violência nos jogos da franquia, mas este título específico subiu a barra.

Uma fase em particular, “No Russian”, causou um frisson considerável: o jogador assume o papel de um agente infiltrado e, sem muita explicação, se vê em meio a um tiroteio indiscriminado contra civis inocentes em um aeroporto.

Não é à toa que o jogo pergunta aos jogadores, antes de começar, se gostariam de pular partes sensíveis do jogo.

O segundo jogo que abordaremos é “Bully“, da Rockstar Games, conhecida por seus títulos ousados e polêmicos. Neste jogo, você é Jimmy Hopkins, um estudante que tem que lidar com valentões em sua escola.

O principal mecanismo de defesa? Fazer bullying com os outros alunos. Além disso, é possível que Jimmy tenha relacionamentos homossexuais, se o jogador assim desejar. Essa combinação de temas sensíveis causou uma controvérsia tão grande que o jogo foi temporariamente banido no Brasil.

Finalmente, chegamos a “Postal 2“, talvez o exemplo mais gritante de um jogo que empurra os limites do aceitável.

Postal 2 deixa o jogador à vontade para realizar ações extremamente violentas e absurdas, desde assassinar pessoas que furaram a fila do banco, a usar gatos como armas ou até mesmo urinar nos corpos de suas vítimas. Questões delicadas envolvendo religião e minorias também são abordadas, tornando Postal 2 não apenas controverso, mas banido em 13 países, incluindo o Brasil.

Todos esses jogos são exemplos de como a indústria dos videogames pode se equilibrar na linha tênue entre a arte e a controvérsia. Como plataforma de mídia, os videogames são um espelho de nossa sociedade, refletindo nossos medos, desejos, conflitos e, por vezes, a nossa própria violência.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE