PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ancelotti ainda está na mira, mas CBF prepara-se para o Plano B

Foto: Reprodução / Reuters

CBF reconhece a contratação do técnico Carlo Ancelotti como um desafio, e acende o sinal de alerta para um plano B.

A aproximação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ao técnico italiano Carlo Ancelotti, que já foi carregada de confiança, agora parece turva, como uma paisagem nublada. A alta cúpula da entidade reconhece o tamanho do desafio e já sinaliza para a necessidade de acionar um plano alternativo.

Todavia, uma importante reunião está marcada para a próxima semana com o comandante do Real Madrid. O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, aproveitará sua visita à Espanha para o amistoso da Seleção contra a Guiné no sábado para conduzir esse encontro decisivo.

A modalidade do diálogo, presencial ou virtual, ainda não foi definida. A procura por um novo treinador, porém, permanece em espera até a conversa com Ancelotti.

Ancelotti, respeitado maestro do futebol, tem afirmado repetidamente em suas entrevistas que pretende honrar seu contrato com o Real Madrid, válido até meados de 2024. O italiano tem feito questão de enfatizar sua permanência no clube espanhol para a próxima temporada.

A estratégia, por ora considerada, era esperar mais um ano pela chegada de Ancelotti, mas essa opção já foi descartada pela CBF. No final de 2022, rumores chegaram aos ouvidos da confederação de que o comando da equipe pentacampeã mundial atraía o italiano.

No entanto, Ancelotti não deseja romper sua relação com o Real Madrid de forma conturbada, mesmo depois da perda do título espanhol e da eliminação nas semifinais da Liga dos Campeões.

As tentativas de contratar Ancelotti envolveram intermediários importantes. Thássilo Soares, representante de Vini Jr, assumiu o papel de emissário da CBF, enquanto Ronaldo Fenômeno facilitou as negociações até os primeiros meses de 2023. Porém, Ronaldo recentemente optou por se distanciar deste processo, sem esclarecer o motivo de sua decisão.

Com a indefinição, Ramon Menezes, da seleção sub-20, foi designado para orientar a equipe de forma temporária. Ramon comandou a Seleção na recente derrota para Marrocos e reassumirá o cargo nos amistosos contra Guiné e Senegal em junho.

O Brasil estreia nas Eliminatórias em setembro, e a CBF espera ter definido até lá quem será o novo maestro à frente da nossa seleção. O espetáculo do futebol segue, com seus dramáticos altos e baixos, aguardando a batuta de seu próximo regente.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE