PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Asteroide DW 2023: ameaça à Terra ou apenas uma passagem próxima?

Arte: Tarciso Morais / CPN-News

Entenda a Escala de Turim e a classificação do asteroide que pode se aproximar do nosso planeta em 2046.

A NASA revelou recentemente que o asteroide DW 2023, com aproximadamente 46 metros de comprimento, tem uma pequena chance de colidir com a Terra em fevereiro de 2046.

A possibilidade de impacto é de 1 em 560, o que levou o objeto a ser classificado como nível 1 na Escala de Turim, uma medida que avalia a probabilidade e o potencial destrutivo de asteroides que se aproximam do nosso planeta.

A Escala de Turim, implementada no final dos anos 1990, funciona de maneira semelhante à Escala Richter para terremotos.

Arte: Tarciso Morais / CPN-News

Os asteroides classificados como nível 0 não apresentam risco de colisão, enquanto os de nível 1, como o DW 2023, têm chances baixas, mas não nulas, de impacto. Por isso, os cientistas não estão excessivamente preocupados com o asteroide em questão.

A escala se divide em Zonas Verde e Branca (níveis 0 e 1), Amarela (níveis 2 a 4), Laranja (níveis 5 a 7) e Vermelha (níveis 8 a 10).

À medida que a classificação aumenta, maior é a probabilidade de colisão e o potencial de destruição. A partir do nível 5, a situação exige planos de contingência governamentais e internacionais para lidar com possíveis catástrofes.

No momento, o DW 2023 viaja a 25 quilômetros por segundo a cerca de 18 milhões de quilômetros da Terra. Embora esteja enquadrado no nível 1 da Escala de Turim, há chances de ser rebaixado para o nível 0 no futuro.

Arte: Tarciso Morais / CPN-News

O asteroide Chelyabinsk, que atingiu a atmosfera terrestre em 15 de fevereiro de 2013, serve como um lembrete de que a situação pode mudar rapidamente.

O impacto, que ocorreu na Rússia, feriu aproximadamente 1.500 pessoas e foi o maior do tipo em mais de um século.

A vigilância e o monitoramento de asteroides são fundamentais para a segurança do nosso planeta.

Por enquanto, o DW 2023 não causa preocupação, mas é importante estar atento às mudanças e descobertas que possam ocorrer até 2046.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE