PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Banco Central reabre plataforma para resgates de dinheiro: saiba o que fazer

Foto: Reprodução / FreePik

Saiba como utilizar o Sistema de Valores a Receber (SVR) para consultar e resgatar valores esquecidos ou parados em instituições financeiras.

Depois de 11 longos meses de espera, o Banco Central (BC) finalmente reabriu o Sistema de Valores a Receber (SVR), permitindo aos brasileiros resgatar quantias esquecidas ou paradas em contas bancárias a partir do dia 7 de março.

Segundo o BC, cerca de 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas possuem valores à espera de resgate.

Com impressionantes R$ 6 bilhões em valores não retirados, uma única empresa já solicitou o resgate de R$ 3,29 milhões, equivalente a 5,7% do total disponível.

O montante faz parte de 1,37% das contas com valores acima de R$ 1 mil, enquanto a maioria, 62,55%, possui menos de R$ 10 para recuperar.

Foto: Reprodução / FreePik

Dinheiro esquecido em poupanças, contas correntes encerradas, tarifas cobradas indevidamente e saldos disponíveis para ex-participantes de cooperativas de crédito ou grupos de consórcio já encerrados são alguns dos exemplos de valores disponíveis no SVR.

Desde a reabertura da plataforma, quase 4,8 milhões de pessoas já solicitaram o resgate de R$ 342,2 milhões, segundo balanço do BC até o dia 9 de abril. O maior valor retirado por uma pessoa física foi de R$ 749,5 mil.

Para consultar e resgatar os valores, siga os passos simples abaixo:

  1. Acesse o site do Sistema de Valores a Receber (SVR)
  2. Clique em “Entrar com Gov.br” e faça o login com seu CPF e senha no Gov.br
  3. Conceda as autorizações necessárias para acessar o sistema
  4. Informe se a pesquisa será feita por CPF ou CNPJ e insira os dados solicitados
  5. Clique em “Consultar” para verificar se há algum valor a receber em seu nome
  6. Caso haja, siga as instruções para solicitar o resgate dos valores
Foto: Reprodução / FreePik

Lembre-se de que o processo de resgate pode variar de acordo com a instituição financeira ou cooperativa envolvida.

O SVR foi criado pelo Banco Central com o objetivo de devolver quantias paradas, movimentar a economia e remunerar pessoas físicas e jurídicas de maneira justa.

Além disso, também é uma forma de circular recursos monetários, uma vez que as pessoas recuperam esse dinheiro parado e reinvestem em serviços e produtos, promovendo um ciclo positivo para a economia brasileira.

Atualmente, o SVR inclui diversas situações, como contas correntes ou poupanças encerradas com saldo disponível, cotas de capital e rateio de sobras líquidas para participantes de cooperativas de crédito, valores de consórcio sem manifestação de saque, tarifas cobradas indevidamente e com devolução pendente, parcelas de operações de crédito com cobrança indevida, contas pré ou pós-pagas

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE