PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Cuidado com as lambidas dos cachorros: entenda os riscos à saúde

Foto: Tarciso Morais / CPN-News

Entenda os riscos por trás das lambidas de cachorros e por que é importante ter cuidado com esse comportamento.

Ter um animal de estimação traz alegria e companheirismo para muitas pessoas em diferentes momentos da vida. Embora existam opções exóticas de animais de estimação, cães e gatos continuam sendo os favoritos.

Os gatos são vistos como mais independentes, enquanto os cachorros são conhecidos por serem afetuosos e apegados aos donos. Entretanto, um comportamento comum entre os cães, a lambida, pode esconder riscos para a saúde.

Os cães costumam lamber seus donos como forma de carinho e afeto. No entanto, a boca dos animais é lar de várias bactérias que, em alguns casos, podem causar problemas de saúde.

Embora muitos donos não saibam como controlar esse comportamento ou até mesmo o incentivem, é importante estar ciente dos riscos envolvidos.

Os perigos das lambidas caninas A boca dos cães abriga diversas bactérias, e mesmo que nem todas representem riscos, algumas podem causar infecções graves. A literatura médica registra casos que tiveram desfechos preocupantes após uma simples lambida.

Foto: Tarciso Morais / CPN-News

Um exemplo conhecido como “Lambida da Morte” envolveu uma idosa britânica que foi parar na UTI após ser lambida por seu galgo italiano.

Após apresentar sintomas como voz arrastada, confusão, dor de cabeça, diarreia, febre alta e falência renal, a paciente foi diagnosticada com sepse grave, causada pela bactéria Capnocytophaga canimorsus.

Essa bactéria é rara em humanos, mas comum na boca de cães e gatos. A idosa não havia sido mordida, o que levou os médicos a concluírem que a infecção ocorreu por meio da lambida.

Embora seja uma infecção rara, especialistas alertam que idosos e pessoas com sistema imunológico debilitado, como pacientes com câncer, devem ter mais cuidado com lambidas de animais de estimação.

Portanto, é fundamental estar atento ao comportamento dos cães e evitar as lambidas, principalmente para aqueles que fazem parte de grupos de risco. Assim, é possível aproveitar a companhia desses animais queridos sem comprometer a saúde.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE