PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Guia salva alpinista da morte no Monte Everest (vídeo)

Foto: Reprodução / VEJA

Em um evento raro e de alto risco, guia de alpinismo salva vida de escalador na parte mais perigosa do Everest.

Em uma incrível demonstração de humanidade e coragem, um alpinista malaio teve a sorte de sobreviver em uma das áreas mais mortais do Monte Everest.

Autoridades do Nepal relataram na quarta-feira (31) que o escalador foi resgatado por um guia que estava liderando outro cliente ao cume da montanha.

O dramático resgate aconteceu na temida “zona da morte”, uma região acima de 8 mil metros de altitude, onde as temperaturas podem mergulhar abaixo dos -30 graus Celsius.

O herói do dia, Gelje Sherpa, de 30 anos, estava conduzindo um cliente ao pico de 8.849 metros do Everest em 18 de maio, quando avistou o alpinista malaio agarrado a uma corda, tremendo de frio. Tomando uma decisão de vida ou morte, Gelje decidiu cancelar a ascensão ao cume de seu cliente para salvar o malaio.

“Decidi abandonar a tentativa de cume do nosso cliente para levar [o outro alpinista] a um lugar seguro antes que ele morresse sozinho lá em cima”, compartilhou o guia em uma postagem no Instagram.

Confira o vídeo:

Gelje levou o alpinista em uma descida de 600 metros por conta própria até encontrar outro guia que se juntou à operação de resgate. “Levei de cinco a seis horas para passar de 8.500 [metros acima do nível do mar] para 7.900. Foi muito difícil”, disse à Reuters.

O salvamento continuou até atingir a marca de 7.162 metros, quando um helicóptero entrou em cena e levou o alpinista malaio para o acampamento base do Everest. O resgate, capturado em vídeo, foi amplamente compartilhado nas redes sociais.

“É quase impossível resgatar alpinistas nessa altitude”, disse Bigyan Koirala, funcionário do Departamento de Turismo, à Reuters. “É uma operação muito rara.”

Tashi Lakhpa Sherpa, da empresa Seven Summit Treks, que prestou assistência logística ao alpinista malaio, optou por não identificá-lo em respeito à sua privacidade. O alpinista retornou à Malásia na semana passada.

Durante a temporada de escalada deste ano, de março a maio, o Nepal emitiu um recorde de 478 licenças para o Everest. Desde então, pelo menos 12 alpinistas perderam a vida – o maior número em oito anos – e outros cinco ainda estão desaparecidos nas encostas do Everest.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE