PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Homem cego é impedido de registrar a filha em cartório no Distrito Federal

Foto: Reprodução / Metrópoles

Reginaldo Cardoso do Nascimento diz que foi discriminado por causa de sua deficiência visual.

Reginaldo Cardoso do Nascimento, 50 anos, locutor de rádio e compositor musical, disse que foi impedido de registrar sua filha em um cartório do Distrito Federal devido à sua cegueira.

Ele procurou o 6º Ofício de Registro Civil, localizado no Hospital Regional de Samambaia, no último sábado (27/5), mas saiu de lá sem conseguir registrar a criança.

“Fui ao cartório e, quando tentei registrar, o atendente disse que alguém teria que assinar por mim. Nunca passei por isso. Tenho uma vida normal. É inadmissível”, protestou Reginaldo.

Sua filha, Acsa Nauany, nasceu na última quinta-feira (25/5) no Hospital Regional de Samambaia. Reginaldo já é pai de outros dois filhos. “Eu registrei os dois e a mãe nem estava presente, ninguém precisou assinar por mim”, acrescentou.

Ele contou que planeja registrar Acsa na tarde desta quarta-feira (31/5), no mesmo cartório. “O cartório entrou em contato comigo ontem [30/5] e me ofereceu um Uber”, disse o morador do Jardim Ingá. Ele planeja ir ao local no meio da tarde.

Reginaldo ressaltou que não tem interesse em entrar com uma ação contra o cartório ou buscar qualquer tipo de indenização. “Quero que meus direitos sejam respeitados e que outras pessoas não passem por isso. Tenho a obrigação de lutar”, afirmou.

Reginaldo perdeu a visão devido a complicações de um quadro de sarampo quando tinha 1 ano e 8 meses de idade.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE