PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“Molécula da Vida”: cientistas detectam novo composto de carbono no espaço

Foto: Reprodução/Nasa

Descoberta pode auxiliar na compreensão do desenvolvimento da vida em outras partes do universo.

Utilizando o Telescópio Espacial James Webb da Nasa, um grupo internacional de cientistas detectou pela primeira vez um novo composto de carbono no espaço, conhecido como cátion metil (CH 3 +). Essa molécula é relevante para a formação de compostos de carbono mais complexos, fundamentais para a vida como a conhecemos.

O cátion metil foi localizado em um sistema estelar jovem, chamado d203-506, situado a aproximadamente 1.350 anos-luz de distância na Nebulosa de Orion. Este sistema possui um disco protoplanetário, local onde planetas começam a se formar.

Os compostos de carbono são a base de toda a vida conhecida. Portanto, são de grande interesse para os cientistas que estudam como a vida se desenvolveu na Terra e as possibilidades de ela se desenvolver em outros locais do universo.

A análise da química orgânica interestelar, que o Telescópio Espacial James Webb tem permitido explorar de novas formas, tem fascinado muitos astrônomos. As características únicas do Webb, como sua excelente resolução espacial e espectral, além de sua sensibilidade, contribuíram para a bem-sucedida descoberta do cátion metil.

A pesquisadora Marie-Aline Martin-Drumel, da Universidade de Paris-Saclay, destacou que a descoberta não só evidencia a sensibilidade do Webb, mas também reforça a importância central do cátion metil na química interestelar.

Apesar de a estrela em d203-506 ser uma pequena anã vermelha, o sistema é intensamente bombardeado por luz ultravioleta (UV) de estrelas massivas, jovens e próximas. Os cientistas acreditam que a maioria dos discos de formação planetária passa por um período de forte radiação UV.

Mesmo que a radiação UV costume destruir moléculas orgânicas complexas, a equipe sugere que ela pode fornecer a energia necessária para a formação do cátion metil. Uma vez formado, este composto promove reações químicas adicionais que constroem moléculas de carbono mais complexas.

Olivier Berné, do Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica em Toulouse e principal autor do estudo, observou que a radiação ultravioleta pode alterar completamente a química de um disco protoplanetário, podendo desempenhar um papel crítico nas fases iniciais da origem da vida.

A pesquisa, parte do programa PDRs4ALL Early Release Science, foi publicada na revista Nature.

O Telescópio Espacial James Webb é o principal observatório de ciência espacial do mundo, cuja missão é solucionar mistérios em nosso sistema solar, observar mundos distantes em torno de outras estrelas e investigar as misteriosas estruturas e origens de nosso universo. O Webb é um programa internacional liderado pela Nasa em parceria com a ESA (Agência Espacial Europeia) e a Agência Espacial Canadense.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE