PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Naufrágio de barco pesqueiro chinês no Índico deixa 39 desaparecidos

Foto: Zou Xunyong/Getty Images

Diversos países se unem em esforços de busca após o trágico naufrágio de um navio pesqueiro chinês no Oceano Índico.

Em um evento trágico ocorrido no Oceano Índico, um barco de pesca chinês virou, resultando em 39 pessoas desaparecidas. As operações de busca pelas vítimas seguem intensas nesta quarta-feira, 17.

A rede de televisão estatal chinesa, CCTV, informou que o acidente ocorreu nas primeiras horas da terça-feira, 16. Segundo as informações, a tripulação do navio era composta por 17 cidadãos chineses, 17 indonésios e cinco filipinos.

O presidente chinês, Xi Jinping, ordenou que “todos os esforços” sejam direcionados para a operação de resgate, conforme informou a agência oficial Xinhua. Ademais, o governo chinês tomou medidas, ainda não detalhadas, para “diminuir o número de vítimas e reforçar a segurança de seus barcos pesqueiros em alto mar, visando garantir a segurança da navegação e da produção marítima”. As causas do naufrágio ainda não foram esclarecidas.

Outros países, incluindo Austrália, Indonésia e Filipinas, manifestaram a prontidão para auxiliar nas operações de busca. Conforme a Agência Nacional de Busca e Salvamento da Indonésia, o acidente ocorreu aproximadamente 4.600 quilômetros a noroeste da Austrália.

A Força de Defesa Australiana, com a ajuda de vários navios e um avião P-8A Poseidon, está ativamente envolvida nas operações de busca na região. O Oceano Índico, palco do incidente, se estende desde o sul da Ásia e Península Arábica até o leste da África e oeste da Austrália.

Na manhã de quarta-feira, o Centro de Comando da Guarda Costeira das Filipinas afirmou estar monitorando a situação em conjunto com a Embaixada da China em Manila e as equipes de resgate na última localização conhecida do navio.

De acordo com os relatórios, o barco pesqueiro, denominado Lu Peng Yuan Yu 028, era operado pela Penglai Jinglu Fishery Co. Ltd., com base na província costeira oriental de Shandong.

A China possui a maior frota de pesca do mundo, com muitos de seus barcos passando meses ou até anos em alto mar, apoiados pelas agências estatais chinesas de segurança marítima e por uma extensa rede de navios de apoio.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE