PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Operação Penalidade Máxima II: manipulação de resultados em jogos do Brasileirão

Foto: Ettore Chiereguini/AGIF

Especialista em Direito Desportivo analisa possíveis impactos e responsabilidades na série A do Campeonato Brasileiro.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) anunciou que seis partidas da série A do Campeonato Brasileiro estão sob investigação por possível manipulação de resultados na Operação Penalidade Máxima II.

Quatro desses jogos ocorreram na 36ª rodada do campeonato do ano passado. Segundo o promotor do MP-GO, Fernando Cesconetto, ainda não há confirmação de que atletas envolvidos tenham recebido dinheiro, mas ofertas de apostadores já foram identificadas.

A suposta manipulação envolve aliciamento de atletas para cumprir requisitos específicos, como receber cartões amarelos e vermelhos, que podem ser apostados em sites online.

Diante desse cenário, o portal LANCE! entrevistou Marcel Belfiore, sócio do Ambiel Advogados e especialista em Direito Desportivo, para entender quem pode ser responsabilizado e se as punições podem incluir perda de pontos e consequente alteração no resultado final do Brasileirão de 2022.

Belfiore afirma que, com base nas informações divulgadas pelo MP-GO até o momento, é difícil prever tais consequências, pois as manipulações investigadas não afetam diretamente o resultado final das partidas, focando em elementos como cartões amarelos e vermelhos.

O especialista ressalta que eventuais mudanças nos resultados poderiam causar um efeito cascata desastroso nas classificações de competições de 2023 já em andamento, como as séries A e B do Campeonato Brasileiro.

Cesconetto informou que ainda não foi confirmado se os atletas investigados receberam dinheiro durante as partidas em questão. Belfiore, por outro lado, não vê culpa por parte da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e das casas de apostas envolvidas.

Ele acredita que, baseado nas evidências disponíveis, a CBF é vítima de ter seu principal produto no país prejudicado, enquanto as casas de apostas também podem ser consideradas vítimas ou meros instrumentos das ilegalidades praticadas.

O advogado destaca que é necessário aguardar o desenrolar das investigações para determinar se houve interferência nos resultados das partidas e, consequentemente, definir possíveis punições e responsabilidades para os envolvidos.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE