Pitaya: saiba tudo sobre essa fruta e por que você deve consumi-la

Algumas pitayas expostas em uma feira.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Nesse artigo você vai ficar por dentro da origem, benefícios, formas de consumir e contraindicações da pitaya, uma exótica fruta tropical!

Você já ouviu falar da pitaya?

Essa rara fruta, também conhecida como “fruta do dragão”, é originalmente encontrada no interior das florestas tropicais da América Central.

Porém, o alto fluxo de mercadorias entre os continentes fez a pitaya se espalhar pelo mundo, e hoje a fruta pode ser encontrada em quase todos os continentes.

Conheça um pouco mais sobre esse maravilhoso fruto e o que ele pode oferecer.

Os benefícios da pitaya

A pitaya possui “poderes” muito interessantes, que estimulam a sua procura e consumo.

Entre as principais propriedades da fruta estão os altos níveis de antioxidantes e anti-inflamatórios, o que credencia a pitaya como uma aliada na luta contra doenças como câncer e hipertensão.

Além disso, essas substâncias evitam o envelhecimento celular, o que acaba proporcionando uma boa manutenção dos tecidos corporais.

Confira outros benefícios da pitaya:

  • Ajuda no tratamento da diabetes, pois é rica em fibras solúveis que retardam a absorção de açúcar pelo organismo;
  • Melhora o funcionamento do intestino, pois as fibras presentes na fruta fortalecem a microbiota intestinal;
  • Reduz o colesterol;
  • É rica em cálcio, fósforo, potássio e vitaminas;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Tem baixo teor calórico, podendo ser incluída em dietas;
  • Ajuda a emagrecer, pois quando consumida provoca uma sensação de maior saciedade.
Demonstrar a aparência do interior de uma pitaya.
Uma unidade de pitaya-branca partida, com a sua polpa exposta. (Foto: pixabay.com)

Formas de consumo

Conheça agora três receitas deliciosas feitas com a pitaya, para aproveitar o melhor da fruta.

1 – Suco de pitaya

Um suco delicioso, fácil de fazer e que ajuda na eliminação de toxinas do organismo.

Ingredientes:

  • 300ml de água de coco
  • 1 pitaya
  • 1 talo de salsão
  • Pedaço pequeno de gengibre
  • 1 limão inteiro
  • 4 folhas de hortelã

Modo de preparo:

Lave bem os ingredientes e, em seguida, parta a pitaya, retirando a sua polpa com a ajuda de uma colher.

Agora coloque todos os ingredientes no liquidificador.

O limão deve ser descascado mas colocado inteiro, inclusive com o “bagaço”.

Depois disso, bata tudo no liquidificador por cerca de 30 segundos.

O ideal é que o suco seja consumido sem açúcar, a fim de potencializar as suas propriedades detox.

2 – Gelatina de pitaya

Uma geleia de cor marcante e atraente, que não fica nem doce e nem azeda demais.

Ingredientes:

  • Pitaya
  • Açúcar
  • Limão
  • Gelatina incolor

Modo de preparo:

Coloque todos os ingredientes, exceto a gelatina, em uma panela em fogo médio.

Aguarde por volta de 15 minutos, até que a mistura ferva.

Enquanto a mistura ferve, misture a gelatina incolor com água.

Quando os ingredientes já estiverem fervidos, adicione a gelatina misturada com água.

Por fim, basta mexer tudo até que a mistura fique numa consistência que agrade.

3 – Sorvete de pitaya (sem lactose)

Conheça esse sorvete delicioso e saudável, feito com uma mistura magnífica que inclui a pitaya e outras frutas.

Ingredientes:

  • Polpa da pitaya
  • Leite de coco
  • Castanha de caju crua
  • Coco em flocos
  • Açúcar demerara

Modo de preparo:

Com pelo menos 8h de antecedência, coloque a castanha de caju de molho em água.

Logo após esse período, misture a castanha escorrida com os outros ingredientes e bata tudo no liquidificador.

Por último, leve a mistura que foi centrifugada ao congelador da geladeira e deixe lá até que esteja congelada.

Consumo correto, armazenamento e contraindicações

A pitaya deve ser consumida por, no máximo, cinco vezes ao dia, considerando a ingestão de até metade de um fruto médio em cada ocasião.

Além disso, os momentos mais propícios para o consumo da fruta são durante e/ou depois das principais refeições, servindo como uma sobremesa ou lanche da tarde, por exemplo.

O estado ideal de consumo da pitaya é quando o fruto ainda estiver fresco, por isso, a condição da fruta a ser comprada deve ser observada, com frutos “machucados” e ressecados sendo descartados.

Da mesma forma, as pitayas adquiridas devem ser acondicionadas em locais secos e arejados, que não sejam nem tão quentes nem úmidos de mais.

Por fim, este fruto tropical não possui restrições para o seu consumo, de maneira geral.

Os únicos casos de contraindicação da “fruta do dragão” são para pessoas alérgicas à fruta, que são bastante raras.

Entretanto, é interessante frisar que tudo em excesso pode vir a fazer mal, portanto, o consumo da pitaya deve ser consciente.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

VEJA TAMBÉM

CURTA o CPN