PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Surto de síndromes gripais em crianças dispara alarme no Amapá

Foto: Reprodução / Agência Brasil

Emergência em Saúde Pública: Amapá enfrenta surto de síndromes gripais em crianças, revelando a importância da imunização.

O panorama da saúde no Amapá é alarmante: o estado enfrenta um salto de 108% no número de internações pediátricas por síndromes gripais no período de janeiro a maio deste ano, culminando na declaração de emergência em saúde pública no último sábado (13 de maio de 2023).

O Hospital da Criança e do Adolescente em Macapá, atolado de casos, viu-se obrigado a converter salas administrativas em acomodações para 32 novos leitos clínicos. A UTI pediátrica também teve que expandir sua capacidade, de 20 para 24 leitos.

As informações da Secretaria Estadual de Saúde são preocupantes: até o final da semana passada, mais de 190 casos de internações foram registrados na rede hospitalar pública e privada. Desses, 109 ocorreram no Hospital da Criança e do Adolescente e no Pronto Atendimento Infantil.

A maioria das crianças afetadas tem entre 7 meses e 4 anos de idade. Entre os pacientes hospitalizados, 29 estão em estado grave, necessitando de entubação.

A causa da crise, conforme anunciado pela Secretaria de Saúde, é o Vírus Sincicial Respiratório (VSR), causador de doenças como a bronquiolite, que inflama os brônquios e dificulta a chegada do oxigênio aos pulmões. Profissionais de saúde também identificaram casos de Influenza A e B e covid-19.

Em comunicado, o governador Clécio Luis (Solidariedade) destacou a necessidade de medidas sanitárias urgentes, incluindo a busca ativa para vacinar crianças não imunizadas. “O estado vai fazer sua parte, mas é fundamental o papel da família e de toda a sociedade”.

Atualmente, apenas 16% das crianças elegíveis para vacinação, com idade entre 6 meses e 6 anos, receberam a imunização. As cidades com menor cobertura vacinal são Macapá, Oiapoque, Santana e Laranjal do Jari.

Para combater a crise, a secretaria estadual de Saúde tem trabalhado para aumentar o número de leitos, garantir o suprimento de oxigênio nas unidades de saúde e aumentar o número de plantonistas.

O Ministério da Saúde, por sua vez, afirmou que acompanha de perto a situação e tem prestado apoio ao Amapá. Em nota, reforçou que a vacinação é o principal escudo contra doenças respiratórias, especialmente antes do inverno.

“Na última sexta-feira, a vacinação contra a Influenza foi estendida a todos a partir dos 6 meses de idade. A vacina contra covid-19 também está disponível nos serviços de saúde. É fundamental que todas as crianças estejam com a caderneta de vacinação atualizada”, ressalta a nota.

Além disso, o Ministério da Saúde está enviando kits de análise laboratorial para diagnóstico, medicamentos, e uma equipe de epidemiologia de campo para reforçar as ações de emergência e investigação dos casos.

“A Força Nacional do SUS também dará apoio assistencial, especialmente na pediatria”, assegurou o ministério.

Quanto à investigação do surto, o governo federal esclareceu que amostras serão enviadas ao IEC (Instituto Evandro Chagas), em Belém, para exames apropriados.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE