PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Almôndega de Mamute: carne do futuro vai além do Jurassic Park

Foto: Aico Lind/Divulgação

Start-up australiana cria carne de mamute em laboratório e desafia a indústria a repensar a produção de alimentos.

Hoje eu trago pra vocês uma novidade diretamente do mundo científico: a carne do futuro!

Isso mesmo, você não leu errado. Uma start-up australiana chamada Vow decidiu dar uma de Jurassic Park e produziu, em laboratório, uma almôndega feita a partir do DNA do mamute-lanoso, extinto há 4 mil anos.

Agora, antes que vocês fiquem animados pra saborear essa iguaria, deixa eu esclarecer uma coisinha: essa carne não foi feita pra ser comida! Pelo menos não ainda.

A ideia dos cientistas não é aumentar o cardápio do açougue, mas sim mostrar os impactos ambientais da agricultura e pecuária tradicionais e apresentar a carne cultivada como uma alternativa viável e sustentável.

Tim Noakesmith, cofundador da Vow, explicou: “Queríamos deixar as pessoas empolgadas com o fato de o futuro dos alimentos ser diferente. Existem coisas que são únicas e melhores do que as carnes que estamos comendo agora. Queríamos ver se poderíamos criar algo que fosse um símbolo de um futuro mais empolgante, não apenas melhor para nós, mas também melhor para o planeta.”

Foto: Aico Lind/Divulgação

E como eles conseguiram criar essa almôndega? Em 2015, pesquisadores sequenciaram o genoma completo do mamute-lanoso.

A equipe da Vow usou o DNA da mioglobina do mamute (uma proteína que dá cor e sabor à carne) e completou as lacunas do genoma com informações genéticas do elefante africano, um parente próximo. Depois, inseriram a sequência em células de ovelha e, voilà! A bola de carne de mamute foi formada.

No evento de apresentação, os participantes descreveram o cheiro da carne como algo semelhante à carne de crocodilo. Mas o seu gosto continua sendo um mistério, já que ninguém experimentou.

James Ryall, diretor científico da Vow, comentou: “Estamos falando de uma proteína que não existe há 5.000 anos. Não tenho ideia de qual pode ser a alergenicidade potencial dessa proteína em particular.”

O que vocês acham, pessoal? Será que a carne do futuro vai mesmo mudar a forma como produzimos e consumimos alimentos? Deixe sua opinião nos comentários!

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE