PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Fenda no oceano que pode desencadear terremoto apocalíptico

Foto: Tarciso Morais / CPN-News

Fenda no fundo do oceano, próxima à costa do Oregon, expele líquido quente que pode causar terremoto devastador na costa oeste dos EUA.

Especialistas estão em alerta máximo devido aos receios de que uma rachadura no fundo do oceano possa desencadear um terremoto apocalíptico.

A fenda, localizada a apenas 50 milhas da costa do estado americano do Oregon, está expelindo líquido quente que cientistas alertam que pode provocar um terremoto de magnitude nove, com potencial para devastar a costa oeste dos Estados Unidos.

A fenda está situada ao longo de uma falha de 600 milhas que se estende da Califórnia até o Canadá, conhecida como Zona de Subducção de Cascadia.

Embora a fenda tenha sido descoberta pela primeira vez em 2015, os cientistas agora alertam que o líquido que dela emana é um chamado “lubrificante de falha”, que permite que as placas tectônicas se movam facilmente. Assim, quanto mais fluido houver nas rachaduras das falhas, menor será a pressão entre as duas placas tectônicas.

Foto: Tarciso Morais / CPN-News

Sem o líquido, a pressão sob a crosta terrestre pode aumentar, levando a um terremoto extremamente poderoso. Os cientistas acreditam que a Zona de Subducção de Cascadia será, um dia, responsável pelo Grande Terremoto, um sismo de destruição tão intensa que não é visto há séculos e que pode devastar várias cidades no oeste dos Estados Unidos.

Um mergulhador robótico encontrou a fenda pela primeira vez há oito anos, após a observação de bolhas de metano subindo do fundo do oceano. Imagens de sonar revelaram que o líquido era muito mais quente do que a água do mar ao redor.

Evan Solomon, professor de oceanografia da Universidade de Washington e coautor de um relatório sobre a zona, disse em um comunicado: “Eles exploraram naquela direção e o que viram não foram apenas bolhas de metano, mas água saindo do fundo do mar como um jato de incêndio. Isso é algo que nunca vi e, pelo que sei, nunca foi observado antes”.

Comparando o processo a uma mesa de air hockey, Solomon explicou que, se a pressão do fluido for alta, é como se o ar estivesse ligado, o que significa menos atrito e as duas placas podem escorregar. Se a pressão do fluido for baixa, as duas placas travam – é quando o estresse pode se acumular.

Sistemas de subducção – onde uma placa tectônica desliza sobre outra – foram responsáveis por alguns dos terremotos mais mortais nos últimos anos, incluindo o terremoto de 2011 no Japão, que matou cerca de 20.000 pessoas. Acredita-se que o último terremoto poderoso na zona de Cascadia ocorreu em 1700.

Foto: Reprodução / YouTube

Solomon disse que o fluido liberado da zona de falha é o primeiro local conhecido de seu tipo a ser descoberto. No entanto, os cientistas acreditam que pode haver fendas semelhantes ainda não descobertas.

A fenda recebeu o nome de Oasis de Pythias, em homenagem à antiga oráculo grega que podia “prever” o futuro ao alucinar com os vapores que emergiam de uma fonte termal no subsolo.

A coautora do relatório, Deborah Kelley, disse: “O Oasis de Pythias oferece uma rara visão dos processos que ocorrem no fundo do oceano, e sua química sugere que este fluido vem de perto da fronteira entre as placas. Isso indica que as falhas próximas regulam a pressão do fluido e o comportamento de deslizamento ao longo da Zona de Subducção de Cascadia Central.”

Os cientistas continuam monitorando a área e realizando pesquisas para entender melhor os riscos associados à fenda e à liberação de fluidos. Ainda é incerto quando um terremoto de grande magnitude pode ocorrer, mas a descoberta destaca a importância de se preparar para possíveis desastres naturais na região.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE