PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Guardiões da Galáxia Vol. 3 mostra resiliência nas bilheterias mundiais

Foto: Divulgação / Marvel

Embora tenha sido afetado pela saga Velozes e Furiosos, o terceiro capítulo de Guardiões da Galáxia mostra resiliência nas bilheterias mundiais.

No intenso embate das salas de cinema, o terceiro final de semana de exibição de “Guardiões da Galáxia Vol. 3” testemunhou uma competição acirrada.

A chegada estrondosa de “Velozes e Furiosos 10” na tela grande (conheça mais aqui e aqui) parece ter abalado a dominância do longa de James Gunn.

Não obstante, “Guardiões da Galáxia Vol. 3” acumulou impressionantes US$ 266,5 milhões nas bilheterias americanas e US$ 392,6 milhões nas internacionais. Esses valores incluem notáveis US$ 72 milhões arrecadados na China – a melhor performance de um filme de heróis no país desde “Homem-Aranha: Longe de Casa”, lançado antes da pandemia.

No cenário global, o longa dos heróis mais irreverentes da Marvel acumula US$ 659,1 milhões.

O resultado posiciona “Guardiões 3” como a segunda maior bilheteria hollywoodiana de 2023, perdendo apenas para o sucesso bilionário “Super Mario Bros.”. Todavia, os números deste final de semana ilustram um decréscimo na receita de “Guardiões da Galáxia 3”, atribuído à estreia de “Velozes 10”. A saga Toretto, de fato, tomou de assalto as salas mais cobiçadas e caras, como as de IMAX, afetando consequentemente o valor médio do ingresso de “Vol. 3”.

Nos EUA, onde na semana anterior “Guardiões 3” apresentou uma sustentação exemplar diante da concorrência menos intensa, o filme arrecadou US$ 32 milhões, representando uma queda de 48,4% em relação à semana anterior. Esse decréscimo, apesar de estar na média para o Universo Cinematográfico Marvel (MCU), é mais acentuado do que os observados em “Guardiões da Galáxia Vol. 1” (-40,4%) e “Vol. 2” (-46,9%).

Ainda assim, o entusiasmo dos fãs e a repercussão positiva parecem garantir que “Guardiões 3” ultrapasse a marca dos US$ 300 milhões nos EUA e dos US$ 700 milhões globalmente. Há chances de alcançar o colega de MCU “Thor: Amor e Trovão”, senão nos EUA (US$ 344 milhões), pelo menos globalmente (US$ 761 milhões).

Tópicos
Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE