Memória: na epidemia de gripe espanhola, o Brasil perdeu um dos seus principais jogadores de futebol

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

A gripe espanhola forçou a proibição de aglomerações de pessoas e a paralisação do Campeonato Carioca por dois meses.

Assim como a covid-19 paralisou as atividades esportivas neste ano, há 102 anos, a Gripe Espanhola também provocou muitas dificuldades para o esporte brasileiro e mundial.

Diante dos fatos, tem circulado nas redes sociais uma foto como sendo um registro de torcedores do Fluminense usando máscaras, durante a pandemia de gripe espanhola, em 1918, no campo da rua Guanabara, atual Estádio de Laranjeiras.

Segundo o blog Jornalheiros, do PC Filho, quem repercutiu a foto foi o jornalista Ancelmo Gois, em seu blog no site do Jornal “O Globo”.

A imagem tinha como título:

“O jogo de futebol no campo do Fluminense em meio ao surto da gripe espanhola”.

Além disso, Gois escreve no texto:

“A foto é de um jogo no campo do Fluminense, com os torcedores de máscara durante a gripe espanhola, que matou só no Rio 15 mil pessoas”.

Entretanto, a imagem publicada não se trata de um jogo do fluminense, pois o time sequer atuava em seu campo na época.

Segundo o jornalista Tony Barnhart, a foto é sim de um jogo durante a pandemia de 1918, porém no campo do Georgia Institute of Technology, em Atlanta.

A imagem teria sido fotografada por Thomas Carter, um estudante da universidade.

A gripe espanhola chegou ao Brasil em setembro de 1918, através de passageiros que desembarcaram do navio Demerara, que veio da Europa e aportou no Rio de Janeiro após escalas no Recife e Salvador.

A doença forçou a proibição de aglomerações de pessoas e a paralisação de do Campeonato Carioca por dois meses.

O Fluminense, melhor time da capital naquela época, atuou em apenas 4 jogos antes da paralisação, mas nenhum em seu campo:  4 a 0 no América (em 15 de setembro, na rua Campos Sales); 2 a 2 com o São Cristóvão (em 20 de setembro, na rua Paysandu); 2 a 1 no Botafogo (em 29 de setembro, na rua General Severiano); e 2 a 2 com o Flamengo (em 6 de outubro, na rua General Severiano).

De acordo com o blog do PC Filho, a gripe espanhola causou oficialmente 14.348 mortes na cidade do Rio de Janeiro, inclusive a do jovem Archibald William French, meia-esquerda da equipe tricolor e de outros 24 sócios do time, um dos momentos mais tristes da história do clube.

O campeonato foi reiniciado no dia 8 de dezembro daquele mesmo ano e o Fluminense sagrou-se campeão com uma vitória de 2 a 0 sobre o Mangueira, na rua Paysandu, dedicando o bicampeonato a French.

Linha do tempo

No ano de 2009 uma cena semelhante, essa sim no Brasil, aconteceu na 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Em meio à pandemia da gripe suína (H1N1), Santos e Coritiba disputaram a partida em Cascavel-Pr, e o jogo foi marcado pela grande quantidade de torcedores usando máscaras como proteção.

Segundo o site da ESPN, após o pedido do Ministério Público de Cascavel para o cancelamento da partida, a juíza Giane Maria Morechi indeferiu o pedido e garantiu a realização do jogo, determinando que máscaras estivessem à disposição dos torcedores que quisessem utilizá-las durante a partida.

Esse fato ficou conhecido como “Jogo das Máscaras”.

O Santos venceu a equipe paranaense pelo placar de 2 a 0 (foto abaixo).

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

COMENTÁRIOS

VEJA TAMBÉM

Gostou deste artigo?

Cadastre seu email e receba novidades em sua caixa de mensagens e fique sempre atualizado e informado.

Curta